lions.png

História

A Associação Internacional de Lions Clubes nasceu como o sonho de um empresário de Chicago chamado Melvin Jones. Ele acreditava que os clubes comerciais locais deveriam expandir seus horizontes de preocupações puramente profissionais para o bem-estar das comunidades e do mundo como um todo. O grupo de Jones, o Business Circle of Chicago, concordava com ele. Após contato com grupos semelhantes nos Estados Unidos, uma reunião organizacional foi realizada em 7 de junho de 1917 em Chicago, Illinois, EUA. O novo grupo adotou o nome de um dos grupos convidados, a “Associação de Lions Clubes”, e uma convenção nacional foi realizada em Dallas, Texas, EUA, em outubro do mesmo ano. Um estatuto, regulamentos, objetivos e um código de ética foram aprovados. Entre os objetivos adotados naqueles primeiros anos figurava um que expressava: “Nenhum clube deverá ter como meta o desenvolvimento financeiro de seus sócios”. Esse apelo ao serviço altruísta continua sendo uma das principais doutrinas da associação. Apenas três anos após sua formação, a associação tornou-se internacional com o estabelecimento do primeiro clube no Canadá, em 1920. A expansão internacional continuou com a fundação de novos clubes, especialmente na Europa, Ásia e África, nas décadas de 1950 e 1960.

Em 1925, Helen Keller discursou na Convenção Internacional do Lions em Cedar Point, Ohio, EUA. Ela desafiou os Leões a se tornarem “paladinos dos cegos na cruzada contra a escuridão”. Desde então, os Lions Clubes têm se envolvido ativamente no atendimento aos cegos e aos deficientes visuais. Ao ampliar sua atuação internacional, o Lions Clubs International ajudou as Nações Unidas a constituir as seções de organizações não governamentais, em 1945, e continua mantendo sua posição de caráter consultivo junto à ONU. Em 1990, o Lions lançou sua mais agressiva campanha para a conservação da visão, o SightFirst. O programa de US$ 202 milhões luta para livrar o mundo de problemas de cegueira evitáveis e reversíveis, apoiando serviços de atendimento médico aos extremamente necessitados. Além dos Programas de Visão, o Lions Clubs International tem o compromisso de oferecer serviços aos jovens. Os Lions Clubes também trabalham para melhorar o meio ambiente, construir casas para os deficientes, apoiar a conscientização acerca da diabetes, realizar programas auditivos e, por meio de sua fundação, oferecer auxílio às vítimas de catástrofes em todo o mundo. O Lions Clubs International cresceu tanto que hoje possui 1,4 milhão de sócios, homens e mulheres, em aproximadamente 45.000 clubes localizados em 200 países e regiões.